Temporada digital de Caso Cabaré Privê é prorrogada até 20 de setembro

SOBRE O EVENTO

Início: 01/08/2020 21:00
Fim: 20/09/2020 20:00

Com concepção e direção de Pedro GranatoCaso Cabaré Privê estende temporada on-line até 20 de setembro. A peça pode ser conferida aos sábados (às 21h) e domingos (às 20h) na plataforma digital da Sympla.

O espetáculo musical é feito por jovens atores do Núcleo Pequeno Ato, em resposta direta às questões que os afligem no Brasil de 2020, uma característica marcante do processo de pesquisa e criação do grupo junto ao diretor.

Na trama, o filho do presidente é encontrado morto em um cabaré privativo e o público é convidado a investigar as pistas antes do anúncio oficial para imprensa. Nenhuma performer do estabelecimento pode sair e começam as interrogações conduzidas por um delegado. O público é direcionado para cabines privê e pode interrogar as personagens. Os atores fazem a encenação em tempo real, executando as cenas e interagindo com a plateia, que assiste tudo direto de suas casas por meio de salas virtuais.

Dessa forma se estabelece um jogo imersivo a partir dos registros do celular do filho do presidente, que funciona como um flashback, para ajudar na elucidação do que aconteceu naquela noite. Essa é a única cena gravada previamente onde o grupo respeitou todos os protocolos de segurança e distanciamento físico.

A montagem estava prevista para estrear no primeiro semestre em formato presencial. “Assim que começou a pandemia migramos os ensaios para plataforma on-line. Começamos a experimentar diferentes formas de relação e interação pensando uma estética voltada para esses tempos. Assim surgiu a ideia de transformar o cenário, que seria em show de cabaré, em cabines reservadas onde cada personagem interage com o público, sem perder a costura musical”, conta Pedro Granato.

O formato já faz parte da pesquisa do diretor, que estreou em 2019 o espetáculo Babylon: Beyond Borders, encenado simultaneamente em quatro países com transmissão ao vivo pela internet. “Como eu já tinha feito uma peça de forma on-line e em países diferentes, me deu uma certa tranquilidade por saber que era possível realizar. O maior desafio de produzir, no único formato possível de se fazer nesse momento, foi buscar novas maneiras para resolver os problemas. Existe a novidade tecnológica que eu já estava experimentando e que a pandemia universalizou permitindo assim uma nova conexão com o público”, explica.

Para a adaptação, os atores usaram suas próprias casas como cenário para comentar a trama de um cabaré esvaziado (sem a presença do público). Como possivelmente houve um crime, cada personagem está fechada em sua cabine. Os atores pensaram as ambientações utilizando elementos cênicos e a iluminação que tinham disponíveis para construir o universo de cada interpretação. Mesclando recursos contemporâneos como números de lip sync, que se popularizaram com as drag queens, e a estética de coreografia de videoclipes e redes sociais, a encenação bebe na fonte da realidade e na riquíssima herança musical brasileira.

Inspirado em táticas de ação direta que tem tomado protestos contra o autoritarismo no mundo todo, a ideia do projeto é retrabalhar a visão Brechtiana de musical que se propõe a questionar o funcionamento da sociedade com os elementos de hoje. O objetivo é construir um musical vibrante que dialogue com a nova geração e se posicione de maneira clara contra a onda reacionária que se espalha pelo mundo. “O teatro preserva a comunhão do tempo-espaço, só que agora de forma on-line. O jogo continua com a efemeridade que só fazer teatral pode proporcionar, pois para cada plateia acontece um espetáculo diferente”, conclui Granato.

Sobre Pedro Granato

Coordenador dos Centros Culturais e Teatros Municipais, em sua gestão em um ano, dobrou o público destes espaços e inaugurou o Centro Cultural da Diversidade, além de participar da criação e execução de Festivais como Verão sem Censura e Palco Presente.

No Pequeno Ato investiga o teatro imersivo e a formação de novos públicos. Essa pesquisa permanente resultou em espetáculos criados colaborativamente que conquistaram a crítica e o público jovem: Fortes Batidas - Prêmio APCA de Melhor Espetáculo em Espaço não Convencional, Prêmio Especial por Experimentação de Linguagem no Prêmio São Paulo e Prêmio Zé Renato para circulação e 11 Selvagens pré-indicado para “melhor texto original” no Prêmio São Paulo entre os 10 melhores espetáculos de 2017 pela Revista Veja e PROAC Circulação para viagens ao interior do estado.

 

Em 2019, em absoluta sintonia com o momento político do país, o Núcleo estreou Distopia Brasil, indicado ao Prêmio Aplauso Brasil nas categorias “Melhor Arquitetura Cênica” e “Melhor Figurino” para o 1º Semestre de 2019. Foi contemplado pelo Prêmio Cleyde Yaconis realizando 20 apresentações em espaços públicos do centro de são Paulo, tendo os ingressos esgotados em menos de 5 minutos, e 8 apresentações em CEUs.

 

Sobre o Núcleo Pequeno Ato

Gera espetáculos criados por jovens, falando de jovens e para o público jovem. Na cena teatral é difícil definir qual o espaço e qual a margem de idade. O grupo chama de “jovem” pessoas dos 16 aos 30, que muitas vezes não se encaixam entre o teatro infantil e o teatro adulto, sem programas claros, temáticas e estéticas que os atraiam, tendo dificuldades para se firmar na cena teatral.

               

Os espetáculos do núcleo dão voz a estes jovens e se constroem em processos colaborativos em que os atores, direção e técnica trazem referências atuais como notícias, séries, filmes e músicas e acima de tudo, suas experiências de vida e visão de mundo. Levam para a cena aquilo que os inquieta atualmente com uma linguagem contemporânea. Tema e forma se potencializam e os espetáculos alcançam enorme comunicação com o público.

 

Ficha técnica:

Concepção e Direção: Pedro GranatoDramaturgia: Tainá Muhringer e Felipe AidarAssistente de Direção: Felipe AidarElenco: Andressa Lelli, Bella Rodrigues, Bruna Martins, Carolina Romano, Claudia Garcia, Gabriela Gonzalez, Gustavo Zanela, Helena Fraga, Jade Mascarenhas, Letícia Calvosa, Ludmilla Cohen, Luiza Guilien, Isabella Melo, Manuela Pereira e Renan Ramiro. Detetive: Felipe Aidar. Convidado Especial: Thiago Albanese. Videomaker e Operador de Zoom: Gustavo BricksDireção Musical: Pedro MonteiroDireção de Arte: Renan Ramiro. Figurino: Isabela Mello e Gustavo ZanelaConfecção de Figurino: House of Le Blanc. Coreografia: Ines BushatskyFotos: Ana Alexandrino. Assessoria de Imprensa: Adriana BalsanelliProdução: Pequeno Ato e Contorno ProduçõesDireção de Produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez




Serviço:

CASO CABARÉ PRIVÊ estreou dia 1 º de agosto.

Temporada: De 1 º de agosto a 20 de setembro. Sábados 21h e Domingos 20h.

Duração: 90 minutos.

Classificação etária: 16 anos.

Ingressos: A partir de R$20.

Capacidade: 50 espectadores.

Venda ingressos e acesso à transmissão: Sympla.com.br/pequenoato

Especificação técnica: baixar o aplicativo Zoom, preferencialmente no PC ou notebook. Também é possível assistir por tablet, celular ou emparelhamento com Smart TV.