O Sorriso da Rainha: uma visão ficcional da Rainha Elizabeth I sobre si mesma, Shakespeare e sua obra

SOBRE O EVENTO

Início: 20/02/2021 19:00
Fim: 06/03/2021 19:00
Onde: ON LINE

Texto de Maria Shu com direção de Alexandre Brazil, solo político, divertido e questionador com a atriz Cacau Merz faz apresentações online de 20 de fevereiro a 6 de março. O Sorriso da Rainha passeia pela encenação clássica da Rainha Elizabeth I com uma boa dose de contemporaneidade. 

 

Numa noite qualquer, uma grande festa é oferecida à Rainha Elizabeth I pelo seu  aniversário. Cansada de tantas bajulações, ela busca em seu gigantesco castelo  um lugar sossegado para descansar um pouco. Ao entrar em um aposento, Elizabeth se encontra com a plateia do espetáculo e, a partir daí, inicia um desabafo sobre seus amores e dos altos e baixos de ser rainha. E tudo isso caminha para uma revelação surpreendente a respeito de William Shakespeare, seu autor predileto. 

 

A Rainha Elizabeth foi a principal mecenas da era de ouro de Shakespeare. O grande  ponto de relevância do espetáculo reside em uma história que faz uso de  uma figura histórica para dialogar com questões atuais das mulheres, como sororidade e a mulher nos postos de poder, construindo uma ponte entre a rainha que viveu no século XVI e as mulheres nos dias atuais”, conta o diretor Alexandre Brazil.

 

O espetáculo já realizou mais de cinquenta apresentações desde 2018 em Casas de Cultura da Prefeitura de São Paulo, no interior de São Paulo através do Circuito Cultural Paulista, entre outras instituições, sempre sendo recebido com grande êxito pelo público e críticas locais. 

 

Elizabeth e Shakespeare 

Elizabeth foi rainha da Inglaterra desde 1558 até a sua morte. Assim como seu pai, Henrique VIII gostava de escrever, tanto prosa quanto poesia. Foi no reinado de Elizabeth que ocorreu a crescente produção artística, principalmente na dramaturgia que rendeu nomes como William Shakespeare. Durante este período e na era jacobina que se seguiu, o teatro inglês atingiu o seu ponto máximo.

 

Shakespeare foi um poeta e dramaturgo, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. Muitos de seus textos e temas permaneceram vivos até os nossos dias, sendo revisitados com frequência pelo teatro, televisão, cinema e literatura. Entre suas obras mais conhecidas estão Romeu e Julieta, que se tornou a grande história de amor por excelência, e Hamlet. 

 

Foi em Londres onde se atribui a Shakespeare seus momentos de maior oportunidade e destaque. Não se sabe exatamente quando Shakespeare começara a escrever, mas alusões contemporâneas e registros de performances mostram que várias de suas peças foram representadas em Londres em 1592. A peça teatral Henrique VIII, do gênero ‘drama histórico’ é de autoria de Shakespeare baseada na vida do Rei Henrique VIII da Inglaterra pai da Rainha Elizabeth. Houve mais sessões especiais para apresentação das peças de Shakespeare nas cortes da Rainha Elizabeth I e o Rei James I do que a de qualquer outro dramaturgo.

Ficha Técnica 

Texto: Maria Shu 

Idealização e Direção: Alexandre Brazil 

Elenco: Cacau Merz
Captação e edição de vídeo: Cassandra Mello - Teia Documenta
Iluminação: Kleber Montanheiro 

Trilha Sonora: Cesar Roldão 

Figurino: Alexandre Brazil
Gola Rufo: Marichilene Artisevskis
Arte Gráfica: Naiana Nascimento
Fotografia: Vanda Dantas
Operador de Luz: Fellipe Oliveira
Operador de Som: Rafael Thomazini
Produção: Gabriel Guimard
Consultoria de Produção: Joana Pegorari e Ju Paié
Coordenadora de Produção: Vanda Dantas 

Realização e Gestão de Produção: Escritório das Artes e Cia. Megamini

 

Serviço

Duração: 50 minutos 

Recomendado para maiores de 14 anos

Toda programação será online e gratuita
20/02/2021 - 19h (Sábado) 

21/02/2021 – 19h (Domingo) 

22/02/2021 – 19h (Segunda) 

24/02/2021 – 19h (Quarta) 

26/02/2021 – 19h (Sexta) 

06/03/2021 – 19h (Sábado)

 

Retirada de ingressos gratuitos pela plataforma Sympla.

Este projeto foi realizado com o apoio da Lei Aldir Blanc n°14017/2020 / Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, ProAC e Governo Federal.